GDF Saúde

Sala de Situação vai monitorar combate ao Aedes aegypti no DF e GO

Com o acordo será possível conhecer com mais detalhes como o mosquito se comporta para além das fronteiras do DF |Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Governos das duas unidades federativas assinam acordo para elaborar ações conjuntas de prevenção e controle do vetor

Uma resolução publicada nesta sexta (12) no Diário Oficial do DF prevê a união dos governos do Distrito Federal e  do Goiás no combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de várias doenças como dengue, febre amarela, zika e chikungunya. Com a parceria será possível a criação da Sala de Situação Interestadual DF/GO, de onde sairão propostas e ações conjuntas de enfrentamento ao vetor.

A sala será constituída de representantes dos municípios da região do entorno, além das secretarias de saúde do estado vizinho e do DF. Nela, serão discutidas e deliberadas as ações, sob o aspecto técnico-colaborativo, de quais ações serão desenvolvidas para o controle do mosquito transmissor das doenças.

O termo de colaboração define ainda a vigilância entomológica (referente aos insetos), o controle de vetores e zoonoses, a vigilância epidemiológica e laboratorial e a atenção integral à saúde como eixos de alcance e de aliança entre DF e Goiás. Com essa iniciativa será possível, por exemplo, conhecer com mais detalhes como o mosquito se comporta para além das fronteiras do DF e também como a doença avança entre os dois territórios.

Estamos falando de uma população que trabalha no DF e mora no entorno. Ou seja, todos muito próximosOsnei Okumoto, secretário de Saúde

A cooperação prevê ainda o repasse de informações, o fornecimento de equipamentos e compartilhamento de estratégias para otimização de resultados de exames.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, ressaltou a importância dessa parceria com a região do Entorno. “Estamos falando de uma população que trabalha no DF e mora no entorno. Ou seja, todos muito próximos. É uma interação é muito forte e precisa ser tratada de forma conjunta para que as ações de saúde sejam eficazes e atinjam seus objetivos”, afirma.

“Agora temos uma segurança jurídica para que possamos atuar inclusive dentro dessas cidades e, auxiliando o controle do vetor lá, estamos também impactando a menor propagação das doenças aqui”Divino Valero Martins, subsecretário de Vigilância à Saúde

Já o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero Martins, destaca que a portaria vem para legitimar uma ajuda que o DF sempre prestou aos municípios da região do Entorno. “Agora temos uma segurança jurídica para que possamos atuar inclusive dentro dessas cidades e, auxiliando o controle do vetor lá, estamos também impactando a menor propagação das doenças aqui”, ressalta.

De acordo com o último boletim epidemiológico sobre casos de dengue, divulgado pela Secretaria de Saúde no início do mês, foram notificados 641 casos prováveis da doença em 2021 no DF, um decréscimo de 66,8% se comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 1.933 casos prováveis.

*Com informações da Secretaria de Saúde