Política

Senadores apresentam pedido de impeachment de Ernesto Araújo no STF

Ernesto Araújo | Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Pressão aumentou após ataques do ministro a Katia Abreu (PP-TO). Parlamentares veem atitude como ação “orquestrada” que conta com apoio dos filhos de Bolsonaro

Por Luisa Fragão

Senadores apresentam nesta segunda-feira (29) ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de impeachment contra o ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, por crimes de responsabilidade. O documento foi elaborado por Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e será apresentado em conjunto com Randolfe Rodrigues (Rede-PE).

Segundo informações da revista Época, os parlamentares iniciaram no domingo (28) a coleta de assinaturas para subscreverem o pedido no Supremo. O documento afirma que Araújo “vem conduzindo de maneira desastrosa” o Itamaraty, “causando enorme prejuízo para a população brasileira e afetando gravemente a imagem do Brasil no cenário internacional”.

Entre os crimes de responsabilidade citados no pedido de impeachment, há a menção aos ataques do ministro contra a China, ao tratar a Covid-19 como “vírus chinês e “comunavírus”, assim como “agir de maneira indecorosa, indigna e incompatível com a honra do cargo” na pandemia do coronavírus.

Os senadores também acusam Araújo de não ter se empenhado no plano internacional para conseguir vacinas contra a Covid-19 e insumos em tempo hábil.

A pressão pela saída do chefe do Itamaraty aumentou após ataques à senadora Katia Abreu (PP-TO). Nas redes sociais, Araújo publicou nesse domingo sobre um almoço que teve com ela no início de março. Ele alega que teria ouvido dela que se tornaria o “rei do Senado” se fizesse um gesto em relação ao 5G, mas que não fez “gesto algum”.

Segundo informações de Andreia Sadi, do G1, parlamentares veem a atitude do ministro como uma ação “orquestrada” que conta com apoio dos filhos de Bolsonaro. Eles afirmam que ataque foi “cortina de fumaça” para tirar a “credibilidade” do Senado em meio ao processo de cobrança pelas vacinas.