Política Saúde

Sob pressão, Bolsonaro vai avaliar nomes para o Ministério da Saúde

ALAN SANTOS/PR
 
 

Troca do interino, general Pazuello, começa a ser preparada em meio ao embate das Forças Armadas com o ministro do STF Gilmar Mendes

 

Diante da pressão sofrida após dois meses sem um titular no Ministério da Saúde durante uma pandemia que já matou mais de 70 mil brasileiros, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) começará a avaliar candidatos para assumir o posto tão logo termine o período de quarentena por também ter sido contaminado pelo coronavírus. Auxiliares e interlocutores do Palácio do Planalto preveem que um novo ministro seja anunciado até meados de agosto.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, reagiu e ingressou nessa terça-feira (14/7), com uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Mendes. Ao acionar a PGR, Azevedo usou parecer da consultoria jurídica que aponta crime contra a honra previsto no Código Penal e menciona o artigo 23 da Lei de Segurança Nacional. De acordo com este artigo, constitui crime incitar a animosidade entre as Forças Armadas. O documento também cita o Código Penal Militar, que, em determinados casos, pode incidir sobre civis. Se forem vistos indícios de crime ou conduta ilegal na posição de Gilmar, a PGR poderá decidir pelo prosseguimento da investigação. Caso contrário, a notícia de fato será arquivada.

PUBLICIDADE