JUSTIÇA

Tio suspeito de estuprar e engravidar menina de 10 anos no Espírito Santo é preso

O Conselho Tutelar de São Mateus ajudou na investigações da Polícia Civil do Espírito Santo - (foto: Reprodução/Google Maps)

O homem, de 33 anos, que não teve a identidade revelada foi indiciado no último dia 13. Segundo a Polícia Civil, ele abusou da sobrinha por cerca de quatro anos

Philipe Santos

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, anunciou na manhã desta terça-feira (18/8) que o tio suspeito de estuprar e engravidar a sobrinha de 10 anos, em São Mateus (ES), foi preso. O caso ganhou repercussão nacional por causa do aborto realizado pela menina.

“A nossa polícia efetuou nesta madrugada a prisão do estuprador da menina violentada no interior do ES. Que sirva de lição para quem insiste em praticar um crime brutal, cruel e inaceitável dessa natureza. Detalhes da operação serão repassada pela equipe segurança ainda hoje”, escreveu Casagrande, no Twitter.

A equipe da Polícia Civil de São Mateus confirmou ao Correio que a prisão do suspeito de estupro foi realizada na madrugada dessa terça-feira, na região Metropolitana de Belo Horizonte.

O homem, de 33 anos, que não teve a identidade revelada foi indiciado no último dia 13. Segundo a Polícia Civil, ele abusou da sobrinha por cerca de quatro anos. O caso passou a ser investigado em 8 de agosto, após a criança dar entrada em hospital com suspeita de gravidez. O suspeito foi indiciado pela prática dos crimes de ameaça e de estupro de vulnerável, ambos praticados de forma continuada.

Protesto

Após a gravidez ser confirmada, a Justiça autorizou — conforme prevê a legislação — que ela realizasse o aborto, mas o hospital no Espírito Santo se recusou a fazer o procedimento. A menina, então, precisou ser encaminhada para o Recife. Lá, ela virou alvo de grupos religiosos que protestaram contra, após a extremista Sara Winter divulgar o nome dela e do hospital.

Um dos alvos também era o obstetra Olímpio Moraes Filho, diretor médico do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), de Recife, que aceitou receber a vítima para realizar o procedimento. O médico já foi “excomungado duplamente” pela Igreja Católica, uma delas por fazer o mesmo procedimento. “Minha preocupação é apenas a de fazer o certo”, disse o profissional ao Correio.

O aborto da menina foi confirmado nesta segunda-feira (17/8). Ela segue em observação. A expectativa é que ela volte para casa no máximo até quarta-feira (19/8), segundo informações do hospital.

PUBLICIDADE