Brasil Internacional Saúde

Tratamento com cloroquina proposto por Trump e Bolsonaro pode matar

(Foto: RAPHAEL VELEDA/METRÓPOLES)

Um tratamento experimental para a Covid-19 defendido por Donald Trump e Jair Bolsonaro pode ter efeito colateral fatal

 

247 – O tratamento à base de cloroquina proposto por Trump e Bolsonaro – “no qual os pacientes recebem doses de hidroxicloroquina, um medicamento usado ao lado do antibiótico azitromicina para tratar malária e – aumenta o risco de que alguns pacientes tenham batimentos cardíacos irregulares que poderiam ser fatais, segundo alertam cardiologistas em uma nova orientação publicada pelo American College of Cardiology”, escreve Robert Mackey em The Intercept.

“De acordo com o autor principal do artigo, o Dr. Eric Stecker, professor associado de medicina cardiovascular na Universidade Oregon Health & Science, todos os pacientes tratados com a terapia combinada devem ser monitorados para arritmia ventricular, o batimento irregular das câmaras inferiores do coração, o que pode levar a uma parada cardíaca. ‘Não sabemos a magnitude do risco’, disse Stecker em uma entrevista no domingo, mas os dois medicamentos podem aumentar as chances de batimentos cardíacos irregulares para alguns pacientes, e o risco é maior quando tomados em conjunto”.

Em pronunciamento em rede nacional de TV na noite desta quarta-feira (8), Jair Bolsonaro voltou a insistir no uso da cloroquina no tratamento do coronavírus.

PUBLICIDADE