Cidadania Política

Vai  passar

 

 

Por – Ataíde Santos

 

E eis que o povo volta às ruas, ordeiros, mas enérgicos, consciente do que querem, do que precisam urgentemente fazer, enfileiram-se nas ruas, praças e avenidas de cidades do Brasil e do mundo.

Respeitando o distanciamento e sem aglomeração, usavam álcool gel, fartamente distribuído entre os presentes, ofertaram máscaras e substituíram as de tecidos por PFF2, mas eficientes.

Não há registros de confusão, brigas, expulsões, ou assemelhados, a exceção da ocorrida em Recife, onde  a vereadora  Liana Cirne foi agredida, gratuitamente, com spray de pimenta por policiais sem qualquer gesto que justificasse tal agressão.

E o povo, composto de gente de todos os matizes, gêneros, raças e credos, arrependidos ou nem tanto, mas consciente de que precisam voltar e ressuscitar a democracia brasileira assassinada violentamente no fatídico 31/08/2016.

Sabem todos que precisam, se não voltar no tempo, resgatar a dignidade perdida. Tanto a pessoal como a nacional.  Ser olhado no exterior com o respeito de outrora e não como motivo de galhofa e de olhar de incredulidade de quem pensa: que povo é esse que aceita entorpecido os desmandos e descasos de um pequeno grupo que os imola diuturnamente. Onde estão os bravos homens e mulheres do Brasil de pouco mais de uma década?

As pesquisas mostram e o povo nas ruas comprova que como dito por Guilherme Boulos, o momento é agora, não dá pra esperar até 2022, não dá pra sacrificara as  vidas de mais 450 mil brasileiros, por Covid, e outros tantos pela fome e suas consequências nefastas. Continuar exterminando jovens, mais precisamente negros, exterminar a população LGBT+, aceitar a coisificação de mulheres que são mortas diariamente por seus maridos ou companheiros por não lhe aceitarem os desmandos.

A terceira onda da pandemia nos bate a porta, mas esta está aberta, desprovida de qualquer mínimo obstáculo que possa impedir a entrada de monstruoso visitante. Atribuir mais importância a economia que a vida, é o que mais vil pode se aceitar em um ser humano, principalmente aqueles que por dever de ofício ocupam cargos e funções para protege-la.

Chega de mentiras! Diz o grito das ruas.  Chega de mentiras em redes sociais, tribunais  e parlamento. Desnecessário é falar do executivo. Que não viguem sobre nós as taras sexuais dos representantes do governo que tentou idiotizar os brasileiros com, “mamadeira de piroca” “sou incomível” “pênis em porta de laboratórios” e de “homossexualidade é contagiosa”.  Isso pra não falar em terraplanismo, vermífugo para combater bactérias e que vacina contra o Covid é fabricada a partir de células de embriões humanos abortados.

O pesadelo parece estar passando.  As nuvens escuras começam a se dispersar, já vislumbramos algumas estrelas na noite escura e tenebrosa que a tantos faz sofrer. Em meio a todo caos, surgem os primeiros raios de sol que nos anuncia uma manhã radiosa, onde poderemos nos desinfetar de todo miasma a que fomos expostos desde o “não é pelos 20 centavos” do 12/06/2013. Nos livrarmos de juízes bandidos, procuradores  que acreditam mais em suas convicções que em provas ou de falta delas, de vereadores federais,  de religiosos  terríveis que usam o nome de Deus para matar e sacrificar, espoliar os incautos. Nos livraremos  daqueles  que sob o peso da farda,  se omitem  e mentem, destruindo vidas humanas,  reputando-a sem valor ou simplesmente trocando-as por meros centavos em seu contracheque.

Mas como dito pelos antigos e hoje cantado pelos poetas: “Tudo passa”. E a nossa dor e humilhações, certamente, irão constar nas páginas mais vergonhosas de nossa história.

Nada é eterno, acredite!