Mídia

Vídeo: Bolsonaro fazia piadas homofóbicas com Sikêra Jr. enquanto 90 brasileiros morriam de Covid-19

Bolsonaro e Sikêra Júnior (Foto: Alan Santos/PR)

Enquanto dois brasileiros morriam a cada minuto por Covid-19, Bolsonaro dava gargalhadas e incitava golpe adulado por Sikêra Jr, que emergiu do mesmo esgoto sob a civilidade onde foi cultivado o chorume genocida

Por Plinio Teodoro

O desprezo de Jair Bolsonaro pela vida de 389.492 brasileiros que já morreram e familiares com a política genocida do governo durante a pandemia pode ser facilmente comprovado pela CPI da Covid-19, que tem início na próxima quinta-feira, dia 29 de abril.

Mas, o escárnio com que trata a mais grave crise de saúde pública da História do Brasil pode ser visto diariamente nas atitudes e palavras do presidente, que busca se cercar de mentes doentias semelhantes às suas para se abrigar daquilo que é fato: sua responsabilidade pelo genocídio brasileiro.

Sikêra Junior é uma das figuras abjetas que emergiram do esgoto sob a civilidade com a eleição de Jair Bolsonaro.

Racista, misógino, machista e ignorante confesso, o apresentador da bolsonarista Rede TV! promoveu um show de adulação no papo de compadre que teve com Bolsonaro em seu programa na última sexta-feira (24).

Incitou o pretenso ditador – como “bom bolsonarista” – a declarar suas pretensões fascistas de, como “comandante das Forças Armadas”, promover uma guerra civil contra governadores e prefeitos que buscam controlar a curva de propagação do coronavírus com medidas de isolamento social, adotadas em todo o mundo por recomendação da ciência.

Com linguagem típica miliciana, Bolsonaro e Sikêra Jr. trocaram impressões sobre quem assassinariam, “cancelando o CPF” na gíria de criminosos, para que as pretensões do presidente fossem levadas adiante.

Não satisfeitos, ainda destilaram homofobia com piadas sobre “rabo” e “queima ou não queima” com um dos assistentes do programa, que recebe recursos públicos com o patrocínio da Caixa Econômica Federal – a mesma que está no alvo das privatizações.

Enquanto Bolsonaro e Sikêra traziam todo o chorume do esgoto de onde brotaram à tona nos 45 minutos de conversa criminosa, 90 brasileiros morreram, do total de 2.914 vidas que foram ceifadas nas 24 horas da sexta-feira (23) – duas a cada minuto.

Pelo bem do Brasil e da humanidade, Bolsonaro deve voltar ao esgoto dos porões da Ditadura onde foi gestado. E levar consigo todas as bestas que fez emergir e contribuem para que leve adiante sua política genocida.